Este curso ainda está em andamento.

Preview da Primeira Aula do Curso

A primeira parte da primeira aula está disponível acima.
Para mais informações sobre esta aula, clique no botão abaixo:

Sobre o curso

Desde muito cedo em sua história o homem compreendeu que os fenômenos celestes resumem de maneira ordenada toda a hierarquia do universo criado e constituem um modelo sintético de toda a multiplicidade dos fenômenos que decorrem sobre a terra e dentro de cada um de nós. Ao estudo da natureza dos astros, de seus movimentos e sua relação com a realidade terrestre, deu-se o nome de Astrologia.

A astrologia, no mundo ocidental, sofreu muitas transformações desde o seu surgimento. Em particular, perdeu por completo o caráter de ciência simbólica, que lhe permitia ser aplicada aos mais diversos domínios, entre os quais a medicina, a agricultura, as ciências alquímicas, a previsão do futuro, as artes bélicas, a estratégia, o planejamento dos negócios e a psicologia.

Nos últimos 600 anos, a distância entre ciência, filosofia e religião só tem aumentado. Isso se deve em grande medida à perda de um “modelo máximo” de síntese desses três campos do conhecimento, modelo esse que se tipifica principalmente nas ciências cosmológicas, cuja explicação científica dos fenômenos, estruturada em princípios filosóficos firmes, nasce da revelação religiosa e a ela reconduz, fornecendo um simbolismo que propicia a vitalidade espiritual da religião.

Quais eram os princípios em que se baseavam as antigas ciências cosmológicas? Por que eram elas dotadas desse caráter eminentemente sintético, que permitia que abarcassem em si desde os dados empíricos da vida cotidiana até os mais elevados axiomas da revelação religiosa? Por que esses conhecimentos foram primeiro depreciados e depois finalmente perdidos e substituídos pelas ciências modernas? Por que estas jamais serão capazes de cumprir o papel antes representado pelas ciências tradicionais?

O curso, com duração prevista de dois anos, pretende dar ao aluno uma idéia clara do lugar das ciências cosmológicas e da astrologia na cosmovisão medieval cristã e islâmica, além de ensinar técnicas de astrologia aplicada. Para alcançar-se esse objetivo, o assunto será apresentado segundo dois métodos complementares: Exposição dos princípios da filosofia natural por meio do estudo e definição de termos como: natureza e natural, causa, princípio, elemento, movimento, e outros, compreendidos à luz de teses tiradas das obras de S. Tomás de Aquino e Aristóteles, entre outros. Aqui são expostos os princípios teóricos de cosmologia que fundamentam o simbolismo astrológico, introdução às ciências simbólicas e ao estudo do simbolismo e das técnicas fundamentais da astrologia medieval. Assim, o estudo da teoria cosmológica é complementado com a aquisição do sentido do simbolismo e exemplificado com o estudo de técnicas astrológicas.