Pessoas burras são incapazes de Vida Espiritual



— “Eu amo a Deus”
— “Eu tenho Jesus”
— “Eu sou apaixonado por São João da Cruz”

Como disse o Gugu, nada disso vai te ajudar. Você só está falando dos seus sentimentos, não de Deus e dos Santos (aula “A Tradição Mística no Catolicismo e no Protestantismo”).

Sentimentos são paixões que não ajudam em nada.

Só atrapalham.

Só existe uma coisa que realmente qualifica uma pessoa para a Vida Espiritual e Mística:

In-te-li-gên-cia.

A prova é que não existe nenhum caso de um sujeito burro que “chegou lá”.

Aí você pode argumentar: “Mas e o caso de São José de Cupertino”?

Ele não era burro.

Não no sentido real da palavra.

O Gugu explica direitinho todas as nuances do termo “burro” e o porquê que a burrice real desqualifica *completamente* a pessoa.

Tá lá na aula “A Tradição Mística no Catolicismo e no Protestantismo”.

Quem é assinante já tem acesso gratuito a essa aula. E quem não é, assina aqui:
http://www.icls.com.br/assinatura

Meydjer Windmüller